quarta-feira, 13 de maio de 2015

Cia. Arteira - Silvia de Araújo Silveira



SILVIA DE ARAÚJO SILVEIRA



Silvia de Araujo Silveira, 43 anos, natural do Rio de Janeiro.
Arte-educadora pela Escolinha de Artes do Brasil, Pedagoga pela UERJ, Pós-graduando em Educação, Diversidade e Inclusão Social, pela Faculdade Dom Bosco, formação em Pedagogia Waldorf, bonequeira, dinamizadora e pesquisadora de danças populares brasileiras, contadora de histórias e atriz (DRT0048391/RJ). 
Formada pelo método Ivaldo Bertazzo de Reeducação do Movimento (2013) e em Dslizamento Rítmico, por Rosemary Junsen (2014).

Atuou com a Cia. de Encenações Musicais de Lu Maia e Mauro Menezes nos espetáculos "Rondas e Mungangas", "Forró do Baque-Virado" e "Gingante pela Própria Natureza", com apresentações no CCBB, teatro Cacilda Becker, teatro do SESC-Tijuca, Teatro da UFF entre outros, no Rio de Janeiro (1997-2005); como contadora de histórias e arte-educadora trabalhou com a Cia. na Colônia de Férias com Cultura do Correios e do CCBB (1998/1999, no projeto Férias com Cultura em diversas bibliotecas municipais do Rio de Janeiro (2000), e no Circuito Vôlei de Praia do CCBB, em Natal – RN (2002); realizou oficinas de Danças Populares Brasileiras nas ações sócio-culturais, atendendo diversas unidades do SESC no Rio de Janeiro (2001).

Foi bonequeira e manipuladora de bonecos junto ao Grupo Catavento (100 anos de Copacabana - "Copabacana em Ação"), e a Cia. Espetacular de Bonecos, no Rio de Janeiro (1992-2001). 

Como palhaça realizou intervenções no Dia dos Namorados junto a Cia. VIVA, nos bairros de Olaria, Conselheiro Paulino e Centro, em Nova Friburgo, pela ACIANF (2009) e participou do Festival do Circo de Duas Barras, com a Cia. Arteira (2010).

Integrou a Cia. Estrela D'alva de Danças Populares Brasileiras, em N. Friburgo (2007-2010).

Junto ao Ponto de Cultura “Os Tesouros da Terra”, coordena Oficinas e Pesquisa de Danças Populares Brasileiras semanais desde 2011, tendo como produto do trabalho o espetáculo “Danças da Terra e do Mar”, apresentado em Aldeia Velha – RJ, São Pedro da Serra, Riograndina, SESC-NF e no Lar Abrigo de Amor a Jesus – LAJE. 

Participou da oficina de “Teatro de Animação: Teoria e Prática”, com Miguel Vellinho (2006), de Mímica com Jiddu Saldanha (2011), do Intercâmbio Cultural com a Cia. Foguetes Maravilha com direção de Alex Cassal e Felipe Rocha e do Intercâmbio Cultural, com a Cia. Alfândega 88, dirigida por Moacir Chaves, ambos em 2011 e promovidos pela 4ª Edição do Circuito Estadual das Artes - programa do Governo do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado de Culturas, da oficina de Teatro do Impro, com Cláudio Amado (2013), da Oficina de Máscaras Balinesas com a Amok Teatro (2013) e da oficina de Utilização de Máscaras Teatrais, com Marise Nogueira (2014), da Oficina de Criação de Figurino, com Raquel Theo (CTAC|Funarte-RJ, 2015) e da Oficina de Montagem e Operação de Luz, com Flávio Andrade (CTAC|Funarte-RJ, 2015).

Promoveu oficinas em Nova Friburgo:
- Danças Populares Brasileiras para professores da Rede Municipal (2010); 
- Reaproveitamento de tecidos com produção de brinquedos artesanais e 'Quadros de Pano' na iniciativa para ampliação da renda familiar Rede de Mães (2006), na Escola Vale de Luz (2007), no SESC-NF, na Oficina Escola As Mãos de Luz e na Biblioteca Municipal de Nova Friburgo (2010), no Encontro Nacional da Aliança pela Infância (2010 a 2013);
- Construção de bonecos de manipulação direta para o grupo Teia – CNSD, com a peça teatral “O Diamante de Grão Mogol” (2011), e para alunos da Umédica, em parceria com o SESC – NF (2014);
- Confecção de máscaras no SESC-NF (fev 2012, 2013).

É integrante da Cia. Arteira de teatro desde o início de sua formação em 2007, atuando nos espetáculos: “O Menino que Carregava Água na Peneira” (intervenção poética), “AlabumTicabum” (Prêmio de Melhor Espetáculo na VII Mostra de Teatro Infantil de Niterói, 2015), “Os Três Reis”, “Cartas” (Prêmio Montagem Cênica 2011), “Histórias que o Vento nos Soprou”, “Teatro de Brinquedos”, “Boi Arrob@”, “Cadê a Água que estava aqui?” e Auto de Natal “Primeira Estrela”, sendo cenógrafa e figurinista dos espetáculos “Alabumticabum” (indicação para melhor cenografia e prêmio de melhor figurino na VII Mostra de Teatro Infantil de Niterói, 2015), “Cadê a Água que estava aqui?” e “Primeira Estrela”.

Como contadora de histórias e arte-educadora participa das ações do SESC – Nova Friburgo e da Aliança pela Infância - Núcleo Nova Friburgo, em abrigos, praças e eventos pontuais.

Trabalha atualmente como professora de Danças Populares Brasileiras no Ponto de Cultura Tesouros da Terra, na Oficina Escola As Mãos de Luz, e como professora da Rede Municipal no Projeto Tempo de Ser Feliz / PETI – Nova Friburgo, onde desenvolve atividades de Arte-educação com crianças em situação de vulnerabilidade social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário